ULISBOA | Mobilidade de recém-graduados para estágio

Mobilidade de recém-graduados para estágio

As mobilidades de recém-graduados para estágio realizam-se entre instituições de ensino superior e empresas / organizações.

Os estágios têm uma duração mínima de 2 meses e máxima de 12 meses.

Os recém-graduados em mobilidade têm um orientador de estágio na empresa onde realizam o estágio e um tutor na universidade de origem que são responsáveis pela supervisão e apoio científico e pedagógico, necessários.

Os recém-graduados realizam estágios extracurriculares Erasmus numa empresa ou outra organização. Para tal devem procurar e encontrar uma instituição que os acolha e lhes emita uma carta de aceitação, indicando o período em que o estágio irá decorrer. Para o efeito devem entrar em contacto direto com as instituições do seu interesse, enviando o seu Curriculum Vitae e solicitando o acolhimento para um estágio.

Estes estágios não acarretam custos para as empresas que os acolhem, sendo que algumas instituições poderão, se assim o decidirem, atribuir um apoio financeiro aos estagiários que acolhem.

Carta dos direitos e deveres do Estudante Erasmus

Eligibilidade

Para participar na ação mobilidade de recém-graduados para estágio, a candidatura deve ser realizada pelos estudantes finalistas, antes da conclusão do ciclo de estudos pelo qual se estão a candidatar e dentro do prazo de candidatura estabelecido pela Escola que frequentam.

Podem candidatar-se ao Programa ERASMUS mobilidade para Estágios os recém-graduados de qualquer ciclo de estudos conferente de grau (Licenciatura, Mestrado ou Doutoramento) e de acordo com os seguintes requisitos:

– Estudantes regularmente inscritos num curso conferente de grau, independentemente da sua nacionalidade;
– No caso de já ter realizado mobilidades ao abrigo do Programa Erasmus, durante o ciclo de estudos que agora concluiu, deve ter em atenção que a duração total de todas as mobilidades Erasmus (as realizadas e a que se propõe realizar) não pode ultrapassar os 12 meses, independentemente do número de vezes que participou, ou do tipo de ação (estudos / estágio / períodos combinados). Os cursos de Mestrado Integrado contam como dois ciclos de estudo, sendo possível realizar 12 meses de mobilidade durante o 1.º ciclo, seguidos de um novo período de 12 meses de mobilidade no 2.º ciclo.
– Não são permitidas mobilidades para o País de residência oficial do estudante.

Adicionalmente, cada Escola poderá definir os seus próprios critérios de elegibilidade e de seriação, de acordo com a especificidade de cada curso.

Candidaturas

O estudante interessado em se candidatar a um programa de estágios deve contactar o Gabinete de Relações Internacionais/ERASMUS da sua Escola.

Passo a Passo:

1. Submeter a Candidatura no Gabinete de Relações Internacionais/ERASMUS;

2. Procurara e contactar as instituições onde gostaria de realizar o seu estágio. Tenha algum cuidado na forma como aborda a instituição, contextualise o seu pedido de estágio no âmbito do Programa Erasmus, apresente uma possível durção, e envie o seu CV atualizado. Consulte a lista de instituições elegíveis – brevemente disponível;

3. Uma vez que receba a confirmação de que poderá ser aceite para realizar um estágio, solicite uma carta de aceitação à empresa/instituição;

4. Caso tenha sido pré-seleccionado, definir o seu plano de estágio (Training Agreement) e submetê-lo para aprovação ao Coordenador Científico ERASMUS do seu curso;

5. Preencher e entregar no Gabinete ERASMUS da sua Escola, todos os documentos de suporte para a formalização da mobilidade junto da Instituição de acolhimento;

6. O Gabinete ERASMUS da sua Escola solicitar-lhe-á o preenchimento de diversos documentos que servirão de base para a abertura do seu processo e emissão do respetivo Contrato de Estudante ERASMUS;

7. Deverá ainda solicitar o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença na Segurança Social ou na ADSE ou em outros subsistemas de Saúde, consoante o caso;

8. Deverá pesquisar e providenciar alojamento e viagens;

9. Deverá ainda assinar o Contrato de Estudante ERASMUS que é o documento final que formaliza o seu Estatuto ERASMUS, e se for o caso, lhe permitirá receber a sua bolsa. Uma vez que normalmente este documento só é emitido após inicio da mobilidade, os estudantes devem deixar uma procuração, nomeando um representante, de preferência em Lisboa, que se possa deslocar à ULisboa para o assinar.

Bolsas

A Bolsa de Mobilidade ERASMUS visa cobrir as despesas suplementares resultantes da diferença do custo de vida entre o país de origem e o país de destino.

Ser selecionado para uma mobilidade ERASMUS não implica necessariamente usufruir de uma bolsa de mobilidade remunerada.

O valor das bolsas é definido para cada ano académico. A Comissão Europeia definiu 3 grupos de países (1 – custo de vida elevado, 2 – custo de Vida médio e 3 – custo de vida reduzido), para os quais estipulou a atribuição de valores idênticos e fixos de bolsa, definidos pelas Agências Nacionais em cada país.

As bolsas serão atribuídas de acordo com o valor do país de destino e para um número definido de dias de mobilidade, que pode corresponder à totalidade do período de mobilidade ou pode ser combinado com um número adicional de dias a “bolsa zero” (sem financiamento).

Não é possível garantir a atribuição de bolsa a todos os alunos, mas a mobilidade Erasmus pode decorrer sem a atribuição de financiamento comunitário, ou seja a “bolsa zero”, sendo que o estudante beneficia de todas as condições e direitos de participação no Programa.

O tratamento de todas as questões práticas tais como, a viagem e o alojamento, são da inteira responsabilidade do estudante.

Tabela de bolsas

Pagamento das Bolsas
Antes do início da mobilidade Erasmus, as Escolas definem e comunicam a lista de alunos selecionados para atribuição de bolsa Erasmus, e os respetivos valores.

Financiamento
O financiamento da Mobilidade de Estudantes ERASMUS é atribuído pela Comissão Europeia, através da Agência PROALV.

Check List

Antes de partir:

Certifique-se que entregou no Gabinete Erasmus da sua Escola o Training Agreement devidamente assinado pela ULisboa (ao nível da Escola), pela instituição de acolhimento e por si.

Não se esqueça também de levar consigo:

– Cartão de Cidadão / Bilhete de Identidade ou Passaporte;
– Cartão Europeu de Seguro de Doença;
– Carta de aceitação instituição de acolhimento, bem como a indicação da pessoa de contacto a quem se deverá dirigir à chegada à instituição de acolhimento;
– Confirmação do Alojamento (se aplicável);
Algum dinheiro para os primeiros dias.

Antes de regressar solicite:

– Declaração de Estada, com as datas de chegada e partida, devidamente assinada e carimbada pela Instituição de Acolhimento, à data da partida;
– Documento com a avaliação do seu estágio pelo seu Tutor da instituição de acolhimento, assinado e carimbado.

Quando chegar:

Entregue no Gabinete de Relações Internacionais/ERASMUS da sua Escola:

– Declaração de Estada;
Documento com a Avaliação do seu desempenho durante o estágio;
– Após a entrega da Declaração de Estada, será acionado o envio do Relatório de Estudante por e-mail, através de uma plataforma Europeia (Mobility Tool) e que deverá submeter no prazo de 15 dias.

Se tiver alguma questão ou dúvida, não hesite em contactar o Gabinete de Relações Internacionais/ERASMUS da sua Escola para mais informações.

Desejamos-lhe uma boa viagem!

Reconhecimento

Por se tratar de um estágio Erasmus realizado após a conclusão do ciclo de estudos, no caso da mobilidade de recém-graduados não há lugar a um reconhecimento oficial destas mobilidades nos documentos de final de curso (Certificado / Suplemento ao Diploma).

No entanto, cada Escola deve solicitar a emissão de um Europass mobilidade, no sentido de reconhecer a realização do Estágio Erasmus+ para os seus recém-graduados (documento a ser preenchido pela instituição de origem e pela instituição de acolhimento).

Em todos os casos é sempre necessário existir uma avaliação formal por parte da instituição de acolhimento que comprove o aproveitamento com sucesso das atividades desenvolvidas durante o estágio Erasmus+, juntamente com um parecer do tutor de estágio na ULisboa, no sentido de validar a atribuição da bolsa Erasmus.