Universidade de Lisboa lidera a nível nacional o U-Multirank 2019

Universidade de Lisboa lidera a nível nacional o U-Multirank 2019

Universidade de Lisboa lidera a nível nacional o U-Multirank 2019

Share Universidade de Lisboa lidera a nível nacional o U-Multirank 2019

No U-Multirank, a ULisboa subiu em 5 indicadores e manteve o lugar nos restantes, consolidando um posicionamento cada vez mais favorável, com a classificação máxima (Very Good), em 11 indicadores.

Os 11 indicadores são: publicações em números absolutos e normalizados, taxa de graduação de licenciados, captação de financiamento para investigação, número de post-doc, parcerias estratégicas, patentes em parceria com a indústria, mobilidade dos alunos, programas de mestrado em língua estrangeira, publicações com parcerias internacionais e regionais.

A ULisboa destaca-se ainda com a segunda classificação mais alta (Good), nos seguintes 8 indicadores: graduados no tempo regulamentar, taxa de citações, produção artística, publicações citadas em patentes, publicações com a indústria a nível regional, licenciados e mestrandos que trabalham na região e ainda as parcerias estratégicas de investigação na região.

Verifica-se assim em 2019 uma melhoria substancial no posicionamento da ULisboa no U-Multirank, com subida ou manutenção da classificação dos indicadores, face ao ano anterior, liderando no quadro das universidades portuguesas.

O U-Multirank é uma iniciativa financiada pela Comissão Europeia que avalia 1 711 universidade de 96 países, com características que o diferenciam de outros rankings internacionalmente reconhecidos, focada numa abordagem multidimensional e orientada para o utilizador.

Este ranking contempla 36 indicadores distribuídos por 5 grandes dimensões – ensino e aprendizagem, investigação, transferência de conhecimento, orientação internacional e regional. A avaliação é feita através de 5 intervalos que variam entre A/1 – Muito Bom (“Very Good”) e E/5 – Fraco (“Weak”). O ranking permite a criação de classificações personalizadas com base nos indicadores nos quais haja mais interesse e nos tipos de instituições que se pretenda comparar. Em vez de combinar e ponderar os indicadores para atribuir uma pontuação final, é possível organizar as Universidades em subgrupos com base no desempenho em cada um dos indicadores.