Formação Universitária para Seniores

Formação Universitária para Seniores

O Programa de Formação Universitária para Seniores da Universidade de Lisboa pretende acrescentar ao tradicional papel da Universidade de ensino e formação dos mais jovens uma nova missão, não menos importante, que naturalmente complementa o serviço público que lhe cabe prestar à Sociedade.

Icone de partilha

No âmbito do programa, são promovidos cursos livres em áreas de conhecimento variadas. A cargo de docentes da Universidade de Lisboa que têm vindo a dedicar a sua vida profissional ao prazer da investigação e do ensino, os cursos destinam-se prioritariamente a indivíduos com idade superior a 50 anos e formação mínima correspondente ao Ensino Secundário ou equivalente.

Aos participantes que tiverem atendido 75% da carga horária total do curso, será emitido um certificado de frequência. Àqueles que tiverem completado 180 horas de formação e que tiverem obtido aprovação num trabalho final sobre uma temática relacionada com as matérias lecionadas, orientado por um docente da Universidade de Lisboa, será emitido um diploma de conclusão do curso.


Neste contexto, são objetivos do Programa:

- Oferecer uma modalidade educativa inovadora inspirada nas ideias e nas práticas inerentes aos modelos da formação ao longo da vida e do envelhecimento ativo, através do desenvolvimento de programas com uma vocação científica, técnica e cultural, concebidos e orientados especificamente para a população sénior;
- Promover a integração social e cultural dos estudantes seniores, contribuindo, não apenas para o seu desenvolvimento pessoal e interpessoal, permitindo-lhes também definir e descobrir novos percursos de vida depois da sua aposentação, por exemplo através da sua intervenção em ações de voluntariado;
- Aproveitar ativamente as formações e experiências prévias dos formandos, utilizando métodos pedagógicos que os coloquem na posição de cocriadores coletivos das suas aprendizagens e dinamizem o seu trabalho em grupos, quer presenciais, quer através de ligação por computador.

Programa de Formação Universitária para Seniores

 

O curso Entender o Mundo no Século XXI foi, em 2015, preparado por um grupo de professores da Faculdade de Ciências, maioritariamente seniores, que dedicaram toda a sua vida profissional ao prazer da investigação e do ensino, em áreas do conhecimento muito variadas.

Tal como na 1ª edição (1º semestre de 2015/2016), neste segundo passeio pela ciência (2º semestre de 2018/2019), o objetivo mantém-se: conversar e pensar sobre o que nos espera na aurora do terceiro milénio. As discussões envolverão uma variedade de temas científicos – matemática, física, biofísica, geofísica, química, bioquímica, biologia, geologia, estatística, informática.

A apresentação dos vários tópicos, para além de incluir momentos expositivos, será organizada de modo a promover o diálogo entre formandos e formadores. Espera-se que este curso contribua para fomentar o gosto e a curiosidade científica dos alunos, independentemente do seu nível de conhecimento das matérias versadas e experiência profissional e, em última instância, os motive para uma descoberta crítica do Mundo e do Saber.

Programa e Calendarização

Destinatários: Prioritariamente, candidatos com idade superior a 50 anos, com formação mínima correspondente ao Ensino Secundário ou equivalente. A maioria dos candidatos aceites será preferencialmente constituída por alunos que tenham frequentado menos que 3 cursos livres no âmbito do Programa de Formação Universitária para Seniores.

Candidaturas: de 22 a 31 de janeiro. As candidaturas serão formalizadas online, através de um link brevemente disponível. Limite máximo de inscrições: 70.

Custo: 150€ pagos no ato de inscrição.

Local: Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

À incerteza que paira em relação ao futuro da união económica e ao papel do Euro nesse processo, somam-se os desafios à coesão e modelo social Europeu que se arrastam há mais de duas décadas e foram objeto central de duas estratégias de crescimento (Lisboa I e II). Como alcançar crescimento económico e emprego de forma sustentável, mantendo simultaneamente elevados níveis de coesão e proteção social? Nos últimos tempos, tem-se falado bastante de “economia do conhecimento”, “flexisegurança” e “ativação” no mercado de trabalho, através da implementação de programas que visam uma melhor conciliação de trabalho e vida familiar; investimento na educação, na formação de capital humano e no desenvolvimento de competências ao longo da vida; medidas proativas de combate ao desemprego, particularmente, desemprego de longa duração e de jovens qualificados; criação de uma economia assente no conhecimento. Até que ponto estas reformas têm sido bem sucedidas e em que medida são as mais apropriadas para assegurar uma construção sustentável de um modelo social europeu?

Para além dos desafios de natureza económica que a globalização veio colocar, a União Europeia está também a atravessar uma das maiores emergências humanitárias desde a sua fundação. À diferença de outras crises humanitárias em que a União Europeia interveio na qualidade de doador, esta tem incidência no seu próprio território e resulta de uma série de conflitos que estão a ter lugar à sua porta. A crise dos refugiados levanta várias questões relativamente à capacidade de resposta da União Europeia e dos Estados Membros face a riscos globais.

A conjunção destas duas crises, económica e social, despertou uma crise de valores com significância política. A instabilidade na zona euro agravou a intolerância social face aos fluxos de imigrantes e refugiados, sobretudo nos países que atravessam maiores dificuldades, o que por sua vez criou um contexto propício ao ressurgimento de movimentos de extrema direita. O discurso oficial securitário e de sustentabilidade do modelo social europeu, que justifica as medidas de contenção e controlo destes fluxos migratórios, é facilmente associado, na retórica populista, a sentimentos anti-imigração. O crescente euroceticismo e o sucesso dos populistas nas eleições e formações de governo nacionais, é um sintoma da perceção generalizada de perda de autonomia, da parte dos governos nacionais e da União Europeia, para lidar com os desafios da globalização, quer ao nível socio-económico, quer ao nível cultural/identitário. Por este motivo, a migração continua a ser um dos principais desafios à estabilidade, coesão e futuro da UE.

As instituições europeias não estão na sua melhor forma e o seu valor adicional tem diminuído, pelo menos em termos de perceções. A crescente insatisfação dos cidadãos em relação ao desempenho dos governos e da democracia a nível nacional, não tem sido compensada por um maior apego à Europa. Bem pelo contrário. A impopularidade da UE, sente-se cada vez mais, não só entre vários governos nacionais, como também entre os seus eleitores. Na última década não têm faltado apelos à refundação do projeto europeu por um conjunto mais restrito de países e em soluções de geometria variável. Uma união multinível e a várias velocidades já existe, mas não parece ter acrescido à sua eficácia.

O ambiente geopolítico tem-se deteriorado, o que levanta também sérios desafios à capacidade da UE contribuir para a governança da globalização económica e política. As relações transatlânticas já viram melhores dias. O Presidente dos Estados Unidos, tem-se mostrado hostil, quer aos acordos multilaterais de comércio livre, quer em relação ao compromisso norte-americano de defesa e segurança da Europa no quadro da NATO.

Este ciclo de debates visa contribuir para uma reflexão fundamentada e equilibrada sobre os vários desafios que se colocam à existência, desempenho e evolução do projeto europeu.

Programa e Calendarização

Destinatários: Prioritariamente, candidatos com idade superior a 50 anos, com formação mínima correspondente ao Ensino Secundário ou equivalente. A maioria dos candidatos aceites será preferencialmente constituída por alunos que tenham frequentado menos que 3 cursos livres no âmbito do Programa de Formação Universitária para Seniores.

Candidaturas: A partir de 11 de fevereiro. As candidaturas serão formalizadas online.

Custo: 50€ pagos no ato de inscrição

As Grandes Batalhas que moldaram a História da Humanidade

Este curso, no âmbito da História Militar, pretende, em sucessão cronológica, e de forma modular, apresentar e desenvolver os múltiplos aspetos relacionados com as dinâmicas da guerra no contexto da História Universal, a evolução dos sistemas militares, os diferentes modelos táticos, estratégicos e tecnológicos postos em ação a partir de um conjunto selecionado de batalhas navais, terrestres e aéreas do Mundo Antigo à Segunda Guerra Mundial.

Os docentes do curso são especialistas em História Militar e investigadores do Centro de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, integrados no Grupo de Investigação em História Militar, a que se juntam professores da Escola Naval, Academia Militar, Força Aérea e outros especialistas, e que pretendem oferecer aos interessados uma visão ampla e acessível de algumas das mais notáveis batalhas da História da Humanidade. O Curso apresenta-se organizado em três módulos diferenciados, mas relacionáveis entre si.

Destinatários: Prioritariamente, candidatos com idade superior a 50 anos, com formação mínima correspondente ao Ensino Secundário ou equivalente.

Critérios de seleção: será dada preferência aos candidatos que tenham frequentado menos que 3 cursos livres no âmbito do Programa de Formação Universitária para seniores da ULisboa

Custo: 150€, pagos no ato de inscrição

Inscrições encerradas.


Governação, Política(s) e Cidadania na Século XXI

O curso tem como principal objetivo transmitir conhecimento assente no quadro teórico e metodológico interdisciplinar das ciências sociais e políticas e estimular o debate e reflexão crítica sobre um conjunto de problemas e desafios que se colocam à governação, políticas públicas e cidadania no século XXI.

Calendário: O curso decorrerá entre 22 de fevereiro e 7 de junho de 2018, às terças e quintas, das 15h00 às 17h00 horas, no Anfiteatro I da Cantina Velha da Universidade de Lisboa.

Destinatários: Prioritariamente, candidatos com idade superior a 50 anos, com formação mínima correspondente ao Ensino Secundário ou equivalente.

Vagas: 60

Custo: 150 €, pago no ato de inscrição

Programa

Inscrições encerradas


Pilares para uma Vida Ativa e Saudável

O curso teve como principal objetivo transmitir conhecimentos nas áreas do desenvolvimento Pessoal e Social, Saúde e Qualidade de Vida e Atividade Física e Exercício. O curso foi constituído por 4 módulos:

I. Qualidade de Vida e Desenvolvimento Pessoal e Social ao Longo da Vida
II. Funções Orgânicas e Saúde
III. Estilo de Vida Ativo
IV.  Alimentação Saudável


Curso "O mundo atual num enquadramento económico-financeiro"

O curso tem como principal objetivo transmitir conhecimentos nas áreas de Economia, Gestão e Finanças refletindo sobre temáticas do mundo atual. O curso é constituído por 3 módulos:
 


Curso “Entre a Guerra e a Paz”


O curso “Entre a Guerra e a Paz” visa promover uma reflexão e análise em torno de cinco períodos da história, desde a pré-história às atuais missões de paz. A cargo da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, o curso conta com a colaboração de especialistas de outras instituições.

Programa e Calendarização


Curso "A Ciência e a Tecnologia no Século XXI - Uma visão integrada"

O Curso “A Ciência e a Tecnologia no século XXI – Uma visão integrada” visa cumprir uma das vocações de uma Escola de Engenharia, Ciência e Tecnologia de excelência como é o Técnico Lisboa, a divulgação da Ciência e do Conhecimento Tecnológico. Este é um curso desenhado para todos aqueles tenham uma apetência natural pela formação contínua numa perspectiva de enriquecimento intelectual permanente, enquadrando os desenvolvimentos recentes em várias áreas científicas com enorme impacto na nossa vida.

Programa
Resumo e Sinopses


Curso "Entender o Mundo no Século XXI"

Que fazia Deus antes de criar o Mundo? Perguntava Santo Agostinho no século V. E respondia: “não houve tempo nenhum em que não fizésseis alguma coisa, pois fazíeis o próprio tempo”. É curioso que a cosmologia moderna, baseada na teoria do “big bang”, dá essencialmente a mesma resposta: o universo começou como uma singularidade do espaço-tempo.

Inserido no Programa de Formação Universitária para Seniores da UL, o curso “Entender o Mundo no Século XXI” foi preparado por um grupo de professores da Faculdade de Ciências, maioritariamente seniores, os quais dedicaram toda a sua vida profissional ao prazer da investigação e do ensino, em áreas do conhecimento muito variadas - física, química, biologia, geologia e estatística.

Neste passeio pela ciência, o objetivo é conversar e pensar sobre o que nos espera, a nós, humanos, na aurora do terceiro milénio. Serão abordadas questões que se relacionam com o futuro da nossa espécie, a única capaz de compreender o mundo que a cerca, modificá-lo em seu proveito e, até mesmo, destruí-lo, com os conceitos de espaço e de tempo absoluto e relativo, com a origem da Terra e da vida, e de como a Estatística mudou o mundo ou não conseguiu, entre outros temas.

A apresentação dos vários tópicos, para além de incluir um momento expositivo, será organizada de modo a promover o diálogo entre formandos e formadores. Espera-se que este curso contribua para fomentar o gosto e a curiosidade científica dos alunos, independentemente do seu nível de conhecimento das matérias versadas e experiência profissional e, em última instância, os concite para uma descoberta crítica do Mundo e do Saber.

Plano e Sinopses


Curso livre "Ciência, Tecnologia e Cidadania"

Em conformidade com os objetivos genéricos do Programa de Formação Universitária para Seniores, o curso “Ciência, Tecnologia e Cidadania”, pelo seu caráter transdisciplinar, não se assume como uma reciclagem profissional, mas, pelo contrário, como uma meta de aprendizagem noutros domínios científicos, tecnológicos e culturais que habilitem os seus  alunos a empreender uma nova atividade, complementar ou mesmo distinta da sua vida profissional, em que possam continuar a sentir-se ativos e úteis à sociedade que os rodeia.

Destinatários: Prioritariamente, candidatos com idade superior a 50 anos, com formação mínima correspondente ao Ensino Secundário ou equivalente.

Calendário e temáticas

Trabalhos finais apresentados e aprovados do curso livre Ciência, Tecnologia e Cidadania


Curso livre "Caminhos da História"

Refletir sobre o presente implica também conhecer as raízes e os percursos da História, nos mais diversos campos e perspetivas de estudo. Um conjunto de abordagens temáticas analisa os Caminhos da História no âmbito da ciência, das humanidades, da economia.

Destinatários: Prioritariamente, candidatos com idade superior a 50 anos, com formação mínima correspondente ao ensino secundário.

Calendário e temáticas

Mais informações
Núcleo de Formação ao Longo da Vida
Reitoria da Universidade de Lisboa
Alameda da Universidade|1649-004 Lisboa

Tel.: 210 170 117/217 967 624 | Ext.:19118
E-mail: seniores@ulisboa.pt