Passar para o conteúdo principal

ÍNDICE itacoatiara do ingá - João Lobo

A Exposição "ÍNDICE itacoatiara do ingá" do artista e investigador João Lobo está patente até ao dia 30 de setembro de 2022 no MUHNAC .

ÍNDICE itacoatiara do ingá - João Lobo

A exposição ÍNDICE itacoatiara do ingá, do artista e investigador João Lobo, parte do monumento ITACOATIARA ou Pedra do Ingá, onde se encontram gravadas gravuras pré-históricas. O artista fotografou as formas esculpidas no monolítico num contexto estritamente artístico de índices pré-históricos.

É importante dar a conhecer a cultura, a história e difundi-las, torna-las globais sem as desvirtuar. As fotografias aqui apresentadas são disso testemunho e remetem-nos para a necessidade de o artista registar e construir um trabalho circunscrito num pensamento direcionado para a problemática histórica e da sua representação artística.

Nestes trabalhos fotográficos João Lobo dialoga com indícios através de gradações luminosas e cromáticas captadas pela câmara. Os traços e registos que se encontram na pedra ganham importância sobre o olhar do fotógrafo. “O mundo visível é novamente um mundo de traços onde o invisível recebe o encargo de impressionar-se no visível.” Nessa circunstância foi possível fazer o cruzamento entre determinados registos gráficos e criarem-se novas leituras.

Estamos perante uma exposição com trabalhos fotográficos artístico-documentais. A fotografia documental, além de difusora de informações, é também provedora de prazer estético e formadora de opinião. João Lobo procura nas suas obras recuperar, através dos detalhes de alguns signos desse grande painel de gravura, a magia que certamente envolvia os cultos lá praticados. No museu o artista pretende valorizar o património cultural brasileiro e reposicionar este importante monumento monolítico na atenção do poder governamental e dos agentes culturais.

Mais informações

 

ULISBOA NEWS

Para que esteja sempre a par das atividades da ULisboa, nós levamos as notícias mais relevantes até ao seu email. Subscreva! 

SUBSCREVA

até
Museu Nacional de História Natural e da Ciência
Partilhar