Categoria de Eventos

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios
18 de Abril de 2018
Faculdade de Belas-Artes

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

No dia 18 de abril, e no âmbito da comemoração do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, a Faculdade de Belas-Artes organizou uma série de eventos que incluem uma visita guiada ao Convento, visitas aos acervos, uma palestra e uma exposição.

Icone de partilha

 VISITA GUIADA AO CONVENTO | 18H00

A visita ao Convento de S. Francisco será acompanhada pelo Professor Eduardo Duarte. Está limitada a um grupo de 25 pessoas e a participação está sujeita a inscrição até ao dia 16 de abril.

 VISITAS GUIADAS AOS ACERVOS

Algumas das coleções do acervo da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa vão estar abertas ao público.

A Coleção de Escultura
A reserva escultórica das Belas-Artes é um espaço que perpetua uma coleção de esculturas em gesso, que para além do seu grande valor simbólico mantém ainda o seu valor pedagógico. Atravessa cronologicamente vários períodos, várias tipologias: guarda réplicas de escultores inatingíveis, obras de escultores outrora alunos e pensionistas em Paris e Roma, obras de concursos e provas de agregação por parte de professores, vivenciando a evolução no ensino através das obras e suas vidas.

A Coleção de Pintura
A Coleção de Pintura da Faculdade de Belas-Artes inicia-se com a fundação da Academia de Belas-Artes de Lisboa, em 1836, e estende-se até à atualidade. Totaliza mais de 400 obras. O acervo mais antigo documenta as disciplinas professadas no estudo da pintura, como as academias de nu, masculino e feminino, o retrato, a pintura animalista, a pintura de paisagem, a pintura de história ou cenas do quotidiano. 

A Coleção de Gravura Antiga
A Coleção de Gravura Antiga da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (mais de 280 espécimes diferentes e perto de 400 provas) apresenta um cariz eclético no que respeita a autores, escolas e temas, e abrange um período cronológico que se estende desde finais do século XVII até à primeira metade 
do século XX. 

A Coleção de Gravura Contemporânea 
O Acervo de Gravura Contemporânea integra matrizes e gravuras produzidas na segunda metade do séc. XX e nas primeiras décadas do séc. XXI de estudantes, docentes e outros artistas convidados, sejam nacionais ou estrangeiros. Essas obras e esses suportes matriciais (bidimensionais e tridimensionais) são o resultado da exploração sistemática das técnicas de “Gravura em Relevo”, de “Calcografia”, de “Gravura Plana”, de “Gravura Permeográfica”, mas também de “Técnicas Mistas”, de mediações entre matrizes analógicas e matrizes digitais, assim como de peças tridimensionais, algumas com pendor instalativo, expressão de uma manifesta liberdade criativa e experimental.