Categoria de Eventos

Doutoramento Honoris Causa de Gianni Accasto

Doutoramento Honoris Causa de Gianni Accasto
26 de Setembro de 2019
11:00
Sala Rainha Sonja da Noruega da Faculdade de Arquitetura

Doutoramento Honoris Causa de Gianni Accasto

A Universidade de Lisboa, sob proposta da Faculdade de Arquitetura, vai atribuir o grau de Doutor Honoris Causa a Gianni Accasto, no próximo dia 26 de setembro, pelas 11h, na sala Rainha Sonja da Noruega da Faculdade de Arquitetura.

Share Doutoramento Honoris Causa de Gianni Accasto

Gianni Accasto realizou os seus estudos de arquitetura na Universidade de Roma «La Sapienza», onde se graduou com louvor em 1968, orientado por Ludovico Quaroni. Foi galardoado com o Prémio do Presidente da República para a arquitetura, por indicação da Academia Nacional de San Luca em 1987.

Trabalhou em contexto universitário desde 1970, entre Sapienza, a Universidade de Régio da Calábria, e a Universidade Agostinho Neto em Luanda.

Foi Professor Catedrático de Projeto Arquitetónico desde 1990, e foi desde 1995 titular da Cadeira em Sapienza. Foi diretor do Instituto e presidente do Curso de Licenciatura em Régio e diretor do Curso de Aperfeiçoamento em Roma.
A partir de 2000 tornou-se o titular da Cadeira de Arquitetura de Interiores da Faculdade de Roma e presidiu à Área didática de Arquitetura de Interiores e Design.

Foi membro consultor do CIAUD (Centro de Investigação em Arquitetura, Urbanismo e Design) da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa.

Esteve entre os pioneiros das atuais tendências de investigação sobre a arquitetura do século XIX e do Movimento Moderno. Publicou o ensaio «L’Architettura di Roma Capitale», a primeira investigação orgânica sobre a arquitetura de Roma dos últimos dois séculos.

Publicou ainda ensaios para a revista «Controspazzio», da qual foi editor, assim como para a «Eupalino», «Lotus» e outras revistas.

Dedicou um interesse especial aos problemas tipológicos e do habitat, com foco específico nos problemas de recuperação da arquitetura histórica e moderna no «terceiro mundo», aos quais dedicou programas de investigação em Angola e Moçambique.
Foi responsável científico pelo curso de mestrado PARES, sobre a recuperação de habitações de centros históricos.